domingo, 14 de fevereiro de 2010

ALÔ MEU POVO!

Vai começar aqui na Marquês do Palácio do Planalto, o desfile da Unidos do Desvio da Verba Pública!

E lá vem a Comissão de Frente! Parlamentares elegantemente engravatados, exibem seus projetos de lei enfadonhos, incompletos, ultrapassados... Provavelmente homenagem aos tempos do Império!

Lindo! Lindo! Lindo!

A platéia começa a entrar na dança!

Oh! Vejam quão belo é o carro abre-alas! Com o tanque cheio de Pré-sal! Passando por cima de todas as formas de energia renovável e limpa. Momento emocionante! Um luxo! Futurístico! Garantia de pelo menos mais dois mandatos!

Entusiasmada, extasiada, maravilhada! A multidão entoa em coro: “O abre-alas, que eu quero votar!” – parodiando Chiquinha Gonzaga.

O carro abre-alas passa, deixando a esplanada livre para a ala das baianas!

Elegantemente vestidas, todas são afilhadas de Antônio Carlos Magalhães. Elas nos contam a história do voto de cabresto, da manipulação do eleitorado e da perseguição de opositores. Fatos que dão a “Toninho” o título de Coronel da Bahia!

Ah! a Bahia!

Foi onde tudo começou... para nosso infortúnio.

O Segundo carro alegórico é uma verdadeira obra-prima do PAC!

Inaugurado às vésperas das eleições, nele não faltam irregularidades, superfaturamento, notas frias, funcionários fantasmas e eticétera.

Uma réplica perfeita, seguida implacavelmente pela ala do TCU! Sem dúvidas, a ala mais sensata e sem graça aos olhos do prepotente “filho do Brasil”.

Mas isso foi só o aquecimento. Um aperitivo para a atração principal deste desfile maravilhoso.

Com vocês, senhoras e senhores, o casal mestre-sala e porta-bandeira!

Ele dispensa apresentações... É o “cara”, segundo Barack Hussein Obama! Munido da força da máquina pública, Luiz Inácio Lula Lá da Silva esfrega toda a sua popularidade na cara da “tucanaiada” e dos “demos’ de plantão.

Pinta e borda! Manda e desmanda! Domina perfeitamente o português coloquial (Caetano que o diga!).

A força deste homem é tamanha, que faz questão de carregar nas costas sua porta-bandeira!

A menina dos olhos do presidente exibe seu sorriso amarelo e a sua noção – nenhuma – de governar uma nação. Ela e a sucessora, a herdeira dos oito anos mais escandalosos da história da capital federal.

Peculiar (ou seria estranho) casal... Se completam, se merecem.

E o desfile aproxima-se do fim. Pois é.

E pra fechar com chave de ouro, que entre na avenida a bateria das promessas de campanha!

Preparem seus ouvidos, pois esses vão usar e abusar deles, despejando toda a ladainha de quatro anos atrás e atrás e atrás e atrás...

Eles nunca saem do ritmo da campanha, que, aliás, é a única marcha que conhecem.

O desfile da Unidos do Desvio da Verba Pública acaba aqui.

Foi tudo direitinho, tudo nos conformes.

Mas, porém, contudo, entretanto, todavia... Faltou uma ala. Sim, faltou a ala dos palhaços. A ala mais visada e aclamada e mais amada pela escola...

Em nota, a equipe da Defesa Civil afirmou que, a Marquês do Palácio do Planalto não suportaria o peso de mais de 180 milhões de pessoas.

Tiago Silva
(Crônica e tirinha publicados no jornal Correio do Cidadão, dia 12/02/2010)

6 comentários:

Oziel disse...

Excepcional, Tiago. Os 180 milhões formam o rei momo que com chave de ouro dos tolos fechariam o circuito

Juliano Fabiano da Mota disse...

Será que ainda há solução?

J.BOSCO disse...

deu um show na crônica, meu cumpadi Tiago Silva!
aprovado!!!!!!!!
abraços

Tiago Silva disse...

Oziel, os 180 milhões são os que pagam pra ver toda essa folia... rsrsrsrs

Tiago Silva disse...

Fala cunhado!
Olha, solução tem... Falta coragem no nosso povão, acostumado com os narizes vermelhos...

Tiago Silva disse...

Opa! Valeu mestre JB!
Se vc aprovou, quer dizer que estou no caminho certo!

 
© Muito obrigado por sua visita